Guia de comunicação científica

Uma das tarefas de todo o trabalho de investigação é a comunicação dos resultados ao resto dos colegas, quer dizer partilhar as descobertas com os demais de uma maneira estabelecida que se conhece popularmente como comunicação científica. A comunicação científica surgiu com a publicação da primeira revista “Le Journal des sçavans” em 1665. Sem dúvida, o termo ganhou popularidade na década de 1970, com a incorporação nas revistas de comités científicos e a revisão “interpares”. Este módulo conta com quatro unidades que cobrem a introdução à comunicação académica, revistas científicas, revistas e bases de dados eletrónicas e a crise das publicações seriadas. No fim deste módulo, espera-se que o aluno seja capaz de:

– Explicar a filosofia, missão e objetivos da comunicação científica

– Descrever o processo da comunicação científica

– Identificar os diferentes canais de comunicação académica

– Discutir a disfunção da comunicação académica.

Na Unidade 1, Introdução à comunicação científica, fala-se dos diferentes aspetos da comunicação académica, especialmente a sua génese, a importância e a ética das publicações académicas, e diferentes canais de comunicação disponíveis na publicação académica. Alguns destes canais descrevem-se habitualmente como fontes primárias, já que proporcionam um testemunho em primeira mão ou a evidência direta na relação com um tema que se investiga. Historicamente, as revistas científicas foram criadas pelas sociedades científicas e outras comunidades académicas para dar conta dos resultados dos seus trabalhos de investigação concluídos os descobrimentos científicos. Na atualidade são editores privados, com fins lucrativos, quem criou as principais revistas de investigação.

Unidade 2, Comunicación con Peer Review, abarca dois importantes canais de publicação académica: 1 Revisão por pares em revistas, conferências e seus procedimentos. 2. Diferentes métodos e procedimentos de revisão por pares para a publicação da literatura primária surgida dos estudos de investigação. A revisão por pares é essencial para a validação da qualidade dos resultados de investigação transmitidos por outros investigadores, que estão sujeitos ao cumprimento das normas éticas e à utilização da metodologia de investigação apropriada.

Na Unidade 3, Revistas y bases de datos electrónicas, analisa-se a aparição de publicações periódicas de âmbito académico e de investigação devido à grande proliferação das tecnologias da informação e da comunicação (TIC). As comunidades científicas e comunicações científicas dos países do sul estão a receber atenções substantivas através da adaptação das revistas eletrónicas e bases de dados electrónicas no processo da comunicação da investigação.

Na Unidade 4,  Crisis de Publicaciones Seriadas, discute-se o custo das publicações revistas por pares e os problemas que enfrentam os investigadores dos países em desenvolvimento. O objetivo desta unidade é destacar os problemas e discutir possíveis soluções, incluindo a aparição do acesso aberto como uma das soluções, pois abrir a publicação de revistas ajuda a mitigar alguns dos problemas associados com a crise das publicações seriadas.

Tradução livre do castelhano >>

Sobre Jorge Borges

Professor.
Esta entrada foi publicada em Formação com as etiquetas . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s