A fixação dos menores na Internet desconcerta pais e educadores

Os pais, que antes limitavam as saídas para a rua dos seus filhos, agora fomentam-nas – pede-se que a Educação para a Cidadania trate do problema

A Internet mudou os hábitos de crianças e adolescentes, e desconcertou pais e educadores. Rapazes que passam horas videojogando, meninas que falam no chat quando a sua família dorme… Nem cortando-lhes os cabos do PC é possível desligá-los, se dominam o Wi-Fi. A consultora valenciana Mar Monsoriu há anos que estuda estas profundas mudanças no mundo educativo familiar.

No seu livro Técnicas de hacker para padres descreve a crescente dependência da Internet dos menores, sem que a maioria de adultos o saiba ou lhes importe. “Entre as crianças de 10 anos o acesso à Internet pode ser quase de cem para cem. Ligam-se desde as suas casas, as dos seus amigos ou familiares, ou desde o trabalho dos pais. Os jovens são especialistas em encontrar um meio de aceder à Internet”, assegura Monsoriu.

Consequência desse afã são os casos de que trata o Projecto Hombre de Valencia: “Rapazes que passam mais de 12 horas a jogar um videojogo e raparigas obcecadas pelo Messenger que se levantam de madrugada para chatear quando os seus pais dormem. Estatisticamente, há um incremento da utilização do computador, da Internet, dos videojogos e do telemóvel nos menores de todo o mundo”.

Nas suas entrevistas com as crianças, Monsoriu descobriu coisas tão surpreendentes como a de que um rapaz a quem outros façam a vida impossível na Rede, preferirá calar-se. “Crêem que os pais ficarão histéricos, que não vão ser capazes de lhes resolver o problema e a única coisa que farão será tirar-lhes a Internet ou o telemóvel”, afirma.

O ciberespaço escolar é o principal problema: “Um senhor de Zaragoza explicou-me que o seu filho começou a não querer ir ao colégio e a estar triste. Pelos vistos, um companheiro de turma insultava-o brutalmente pelo Messenger. Ele bloqueava-o, mas o ciber-atacante colocava-se de novo em contacto usando os nomes de utilizador de outros companheiros”.

As mensagens instantâneas são uma fonte constante de sustos para as crianças e também para as mães; por exemplo, uma descobriu que o seu filho tinha duas pastas de contactos, uma chamada Amigos e outra Desconhecidos. “É algo normalíssimo”, esclarece Monsoriu. “O número de contactos associa-se à popularidade”.

“A maioria dos pais e professores não sabem o que é uma rede social, nem que os seus filhos contam a sua vida minuto a minuto no Twitter”, diz a investigadora. A coisa também não melhora se os pais sabem de Internet. “Não lhes passa pela cabeça que a sua filha se despe diante de uma webcam. Todos pensam: ‘A minha filha, não”.

Postos a ignorar, os adultos ignoram como castigar. Se antes se castigavam as crianças proibindo-as de sair de casa, agora castigam-se obrigando-as a sair, para que não estejam frente ao PC. Também um erro, segundo Monsoriu: “Especialmente em rapazes de mais de 13 anos. Irão a um cibercafé ou procurarão um sinal Wi-Fi desprotegido de algum vizinho”.

A razão de fundo deste descontrolo é, segundo Monsoriu, “a falta de comunicação com os pais e o facto destes não darem aos seus filhos o apoio e as directrizes educativas necessárias. Alguns esperam que os seus filhos se auto-eduquem no uso da tecnologia. Também, em alguns casos, aos professores falta-lhes formação. A net-etiqueta deveria fazer parte de Educação para a Cidadania”.

Notícias relacionadas (neste blog)

Fonte e mais informação

Anúncios

Sobre Jorge Borges

Professor.
Esta entrada foi publicada em Educação, Formação, Internet, Segurança na Internet, Sociedade da Informação, TIC, Web. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s