A Web que aí vem

O responsável das CSS do W3C explica as possíveis melhorias no desenho web previstas para os próximos anos

Como se desenharão as páginas web nos próximos anos? Ninguém o sabe com certeza, ainda que o World Wide Web Consortium (W3C) trabalhe para incorporar novos elementos a pedido da comunidade internacional de desenhadores e desenvolvedores de sítios web.

De acordo com Bert Bos, máximo responsável do grupo de trabalho de W3C dedicado ao desenvolvimento de CSS (Folhas de Estilo em Cascata), entre as possíveis novidades que se pretende estandardizar encontram-se as seguintes: o uso de sombreados em textos, a incorporação de imagens com transparências, o emprego de ligações que façam algo mais que dirigir o utilizador para outra página, o possível uso tipográfico de mais fontes, o uso de textos verticais ou inclinados ou a possibilidade para projectar facilmente páginas semelhantes às dos jornais ou revistas (baseado em grelhas).

Estas são algumas das melhorias em CSS que a W3C está a estudar, disse Bos durante o primeiro dia do congresso Jornada dos Fundamentos Web que começou quarta-feira (4.10.2007) em Gijón. O congresso que este ano chega à sua terceira edição, tem a participação de cerca de 400 profissionais relacionados com o desenvolvimento de páginas web.

Bert Bos explicou que quase 11 anos depois da primeira recomendação publicada pela W3C sobre como trabalhar com CSS, o uso das folhas de estilo é uma realidade que já afecta 72% da rede de páginas. Também, durante esta primeira década de uso de CSS foi possível reduzir consideravelmente o número de falhas nos browsers (navegadores).

Porém, o representante de W3C reconheceu que, apesar do trabalho levado a cabo até hoje, “ainda há muitas coisas para desenvolver” no campo de CSS.

O grupo de trabalho que Bos dirige integra aproximadamente 30 pessoas e tem a colaboração activa no mundo inteiro de cerca de 500 profissionais. Bert Bos reivindicou a colaboração dos desenhadores e criadores para definir da melhor forma possível as prioridades que a W3C deveria trazer a este ambiente.

Escutar os utilizadores

No primeiro dia do congresso Web interveio também o director de utilizador de experiência do Google, Jeffrey Veen que realçou a importância de ouvir os utilizadores ao projectar produtos novos ou a rede de serviços, para perceber as suas necessidades.”

“Devemos fazer sítios web que encaixem na vida dos utilizadores, e não tentar que eles se adaptem às nossas páginas”, explicou o representante do Google .

Veen revelou que ele dedica “muito tempo” de seu trabalho para falar com os utilizadores, para saber o que os motiva, do que eles gostam e o que eles tentam fazer na Internet.” Esta informação é fundamental para tomar a melhor decisão ao projectar um produto novo ou serviço.

De acordo com Veen, o melhor momento para falar com os utilizadores é na fase inicial de definição de um projecto, quando o custo que implica uma mudança é muito baixo. Se as mudanças se fazem na fase final do projecto, as despesas serão muito maiores.

Antes de trabalhar para o Google, Jeffrey Veen foi o director geral da Measure Map, companhia que foi adquirida pelo Google, e membro fundador e consultor no campo da experiência de utilizadores Adaptive Path.

Consulte a fonte.

Notícias relacionadas: Fundamentos Web celebra 10 anos de CSS com a presença de Berners-Lee

Anúncios

Sobre Jorge Borges

Professor.
Esta entrada foi publicada em Formação, Sociedade da Informação, TIC, Web. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s