Transitando (lentamente) para a Educação Virtual

 

Ainda existe demasiada improvisação na educação virtual.

Falo da educação levada a cabo pelos nossos professores nas nossas escolas. Dos professores que recorrem a este meio. 

A mudança passa por um novo perfil de formador capaz de promover novas atitudes nos docentes.

Temos sub-utilização das tecnologias, modelos pedagógicos condutivistas centrados na transferência da informação, pequena partilha de recursos multimédia e objectos de aprendizagem, desconhecimento de tecnologias colaborativas (Web 2.0) e gratuitas (open source), baixa alfabetização, entre outros. Enfim, a fotografia mostra a educação a distância nos seus primeiros passos.

 Para obstar a esta situação, justo destacar, entre nós, o projecto de formação posto em marcha – e muito interessante – pela Equipa CRIE do Min-Edu, orientado mais para a actualização dos docentes na Sociedade de Aprendizagem do que nas ferramentas pelas ferramentas, como se fez até aqui. O software proprietário, nomeadamente o da Microsoft teve aqui e durante anos o seu el dorado, centenas de formadores pagos por todos, a trabalharem exclusivamente sobre o seu software (…).

Com o novo modelo de formação, que passou pela formação de formadores, torna-se possível agora inverter esta tendência, abrindo o caminho ao software livre nas mesmas condições, ou em condições mais justas. Pois a escola tem o dever de mostrar o que existe, para que cada um escolha em consciência.

A este respeito, aqui fica para reflexão, muito interessante o projecto, intitulado Diplomado Formación y Actualización para un Nuevo Modelo Educativo, -posto no terreno pelo Instituto Politécnico Nacional e a ANUIES do México – que procura: promover estratégias para uma prática docente inovadora; incorporar as tecnologias de informação e comunicação (TIC´s) para inovar a prática docente e vincular o processo de formação com um projecto de investigação-acção. (Descarregar ppt.)

Interessante, neste âmbito, o trabalho pioneiro e no ensino público, levado a cabo pela Malha Atlântica com o Projecto-Piloto que lançou em 2002, assente já numa Plataforma de Gestão de Aprendizagem. 

…referir ainda o trabalho de Cristóbal Cobo onde se bebeu alguma da informação que aqui fica…

Anúncios

Sobre Jorge Borges

Professor.
Esta entrada foi publicada em Educação, Formação, Internet, Sociedade da Informação, TIC, Web. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s